SindServ Barueri – Portal – Incrível método japonês que cura doenças emocionais através dos dedos full screen background image
Últimas notícias

Incrível método japonês que cura doenças emocionais através dos dedos


Estamos rodeados pela intensidade constante e um ritmo que pode gerar estresse, exaustão e fadiga.
 
Este é o mundo moderno!
 
Mostraremos uma técnica de relaxamento bastante praticada em países orientais, desde os tempos antigos.
 
É muito importante que você esteja ciente de quão poderosos são nossos dedos e mãos para tratar e curar.
 
E, segundo esta técnica, os dedos das mãos são fonte de energia e carregam um sentimento ou emoção específica.
 
Então, tudo o que você precisa é segurar, por exemplo, um dedo da mão esquerda com todos da mão direita, como se a mão que segura formasse um punho fechado.
 
Ao exercer por alguns segundos certa pressão no dedo de uma mão usando os da outra, você irá conseguir erradicar emoções negativas e poderá se livrar de doenças.
 
Cada dedo em particular age contra algum problema:
 
Conheça que emoções estão ligadas a cada dedo:

1. Dedo polegar
 
Pressione e segure.
 
Assim, você poderá remover todas as preocupações, os nervos e emoções que causam o estresse.
 
2. Dedo indicador

Pressione e segure.
 
Você pode conseguir o controlar todos os seus medos.


 
3. Dedo médio
 
Aplicando esta técnica, você poderá limitar a raiva, o rancor e outros sentimentos negativos.
 
4. Dedo anelar
 
Ao aplicar técnica neste dedo, você começará a eliminar a depressão e a tristeza.
 
Também pode ajudá-lo a decidir sobre alguma escolha ou julgamento.
 
5. Dedo mínimo
 
Ao pressionar este dedo, você vai conseguir acalmar sua ansiedade.
 
Além de ajudar a eliminar o pessimismo e concentrar suas energias para atingir uma meta.
 
Recomendamos que você realize este exercício alternadamente com cada um dos dedos, de ambas as mãos, passando  cerca de 20 a 30 segundos entre um dedo e o outro.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.



Fonte




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *