full screen background image
Últimas notícias

De Um Lado, Festas Da Alta Sociedade; Do Outro, Trabalho Escravo E Grilagem Na Bahia


A celebração é um “get together à beira da piscina”, conforme as palavras da colunista social Hildegard Angel, em seu blog:

– As mulheres todas confabulando para saber como irão neste final de semana ao casamento de Dadado e Cecília Veiga – se irão usar pele ou não – durante o almoço de aniversário de Claudia Levinsohn, ontem, quando ela apresentou aos amigos seu neto Patrick, que mora nos Estados Unidos. Um refúgio dentro da Mata Atlântica, onde colibris, macacos prego e outras espécies convivem em perfeita harmonia com as orquídeas.

O que este cenário de festa da alta sociedade no Rio tem a ver com o conflito de terras na Fazenda Estrondo, na Bahia, onde um camponês foi baleado no fim de janeiro?


“Azul da cor da piscina”, descreveu a colunista. (Foto: Reprodução)



Claudia vestia um azul combinando com a piscina. Ela é irmã de Priscilla Levinsohn, personagem assídua dos encontros da aristocracia carioca. Nas redes sociais ou nos “get together”, as irmãs interagem com as socialites Narcisa Tamborindeguy, Andrea Rudge e Patrícia Leal, a ex-esposa do ex-bilionário Eike Batista. Com a jornalista Glória Maria, a modelo Luiza Brunet, entre outras celebridades que frequentam o hotel Copacabana Palace. Com direito a show de Tiago Abravanel.

A excêntrica vida das irmãs Levinsohn é apresentada com alguma frequência em colunas sociais, como a de Lu Lacerda, que descreveu em seu blog o aniversário de Priscilla, em 2014, uma festa extravagante para 700 pessoas na mansão da família, na Gávea, com o seguinte tema inspirado no maior prêmio do cinema mundial: “Oscar: homens de preto e mulheres deslumbrantes”.

É Lu Lacerda quem descreve o clima entre os convivas:

– Um convidado brincou: “Que festa é essa? Prevejo alegria e gastos”. Acertou. Foi alegríssima a noite da Priscilla, em decoração linda e vibrante de Antonio Neves da Rocha, com lista [de convidados] variadíssima: nomes públicos, nomes sociais…e banqueiros de várias áreas de atuação.

Entusiasmada, a advogada Priscilla Levinsohn afirma à jornalista: “Se fosse convidar todos os meus amigos, encheria o Maracanã“.

A mesma Lu Lacerda narrou em seu blog, no dia 23 de janeiro, as peripécias de Priscilla Levinsohn para “visitar dois amigos da Lava Jato presos em Bangu 8”. Priscilla quis entrar com 24 garrafas de água mineral, 12 para cada amigo preso. O agente penitenciário contestou: “A senhora sabe, como advogada, que não pode fazer a custódia para os internos”. Priscilla respondeu: “Está fazendo 42 graus e eles estão sem ter o que beber. Qual a água que o senhor espera que eles bebam se nem filtro aqui tem?”

Na Bahia, Jagunços atiram em um camponês

No Rio de Janeiro, distraídas entre uma taça e outra de champanhe, Claudia e Priscilla talvez tenham sido avisadas que, na manhã do dia 31 de janeiro, seguranças que trabalham para a sua família balearam Jossinei Lopes Leite, diretor da Associação Comunitária da Cachoeira, na Fazenda Estrondo, na zona rural de Formosa do Rio Preto, na Bahia.

Parentes de Lopes Leite alegam que o seu gado foi roubado pelos funcionários da Fazenda Estrondo. Ato contínuo, os familiares foram até a propriedade rural exigir os animais, mas foram recebidos a tiros. O camponês foi alvejado na perna e encaminhado para o hospital do município.

Segue um trecho da conversa entre os ribeirinhos e os seguranças, conforme vídeo divulgado pelo portal Metrópoles:

– Vai soltar o gado?

– Não, não vou.

– Por quê? O gado é seu?

– Não. Estou aqui fazendo meu serviço.

– Por que vocês não soltam o gado?

– É ordem da fazenda. Para aí, rapá!

– Eu não vou parar não. Se vocês quiserem atirar para matar, podem atirar. Pode atirar pra matar.

Publicidade