full screen background image
Últimas notícias

Poliúria: você sabe a que se refere?


Poliúria é um termo médico para se referir ao aumento da produção de urina. Para que realmente o problema seja esse, o corpo deve produzir mais de três litros por dia de urina em um adulto e mais de dois litros e meio em vinte e quatro horas em uma criança.

Existem outros termos semelhantes, mas eles não significam o mesmo. Por exemplo, a polaquiúria que se refere ao aumento da quantidade de micções por dia, embora com uma quantidade normal de líquido no total. Por outro lado, temos noctúria, que é a necessidade de urinar à noite, interrompendo o sono para fazê-lo.

Pode haver poliúria com noctúria ou poliúria com polaquiúria, mas não é a mesma coisa. Além disso, pode haver um aumento no volume de urina sem outro tipo de sinal. De qualquer forma, estamos diante de um sintoma e não de uma doença em si. Para conhecer a doença causadora é preciso chegar a um diagnóstico.

A quantidade de urina produzida em vinte e quatro horas depende de três fatores:

  • O que ingerimos: quanto líquido ingressamos em nosso corpo.
  • Substâncias que devem ser eliminadas: a urina é um mecanismo do corpo humano para remover elementos que não têm utilidade. A quantidade a ser excretada será mais um fator.
  • Funcionamento renal: a urina é produzida nos rins e depende da capacidade desses órgãos para funcionar.

Causas gerais de poliúria

Vamos primeiro citar as causas gerais da poliúria para explicar mais tarde, em detalhes, algumas doenças que são a causa mais frequente do sintoma. Entre essas causas gerais, temos algumas associadas a eventos cotidianos e passageiros e outras mais persistentes:

  • Aumento da ingestão de líquidos: obviamente, se aumentarmos a quantidade de líquido que bebemos em um dia, o corpo precisará eliminá-lo. Nesse caso, enfrentaremos uma poliúria passageira e benigna.
  • Aumento do consumo de sal: o sal é uma substância capaz de arrastar a água, ou seja, associar-se à água do corpo e levá-la ao rim para removê-lo do corpo. Quando ingerimos alimentos muito salgados, é esperado que haja um aumento no volume de urina. É também uma poliúria momentânea.
  • Bebidas estimulantes da urina: certos líquidos têm a capacidade de aumentar o volume urinário, como por exemplo, a cerveja, alguns chás e cafeína.
  • Frio ambiental: quando está frio no ambiente e o corpo o registra, ocorre vasoconstrição, ou seja, o calibre das artérias do corpo diminui. Como as artérias diminuem o seu calibre, há menos espaço para o sangue que elas contêm, e a maneira de se livrar desse excesso de líquido é aumentando a urina.
  • Uso de diuréticos: para algumas patologias, os médicos indicam medicamentos conhecidos como diuréticos (furosemida ou hidroclorotiazida, por exemplo). Esses medicamentos aumentam o volume de urina produzindo assim, a poliúria. Pode ser um efeito esperado do tratamento ou um efeito adverso.
A poliúria está relacionada aos rins

Leia também: 5 benefícios para a saúde de usar pouco sal em sua comida

Doenças específicas que causam poliúria

Como já comentamos, depois de descrever as causas gerais, citaremos agora quatro doenças que apresentam a poliúria como sintoma. Nestas doenças, o controle médico é muito importante, pois a poliúria pode ser um grande problema.

Embora a poliúria seja outro sintoma no contexto dessas patologias, quando se torna incontrolável, causa problemas adicionais. Mesmo assim, o objetivo será sempre resolver a doença que a origina.

Diabetes

É considerada, dentro de todas as doenças, a causa mais comum de poliúria. Classicamente, tem sido descrita dentro de uma tríade:

  • poliúria,
  • polidipsia – aumento da sede,
  • polifagia – aumento do apetite – é o alerta inicial da patologia.

No diabetes, a poliúria responde à necessidade do corpo de se livrar do excesso de glicose. Com tanto açúcar circulando no sangue, a única maneira de excretá-lo é através da urina, aumentando sua produção. Então, ocorre a poliúria clássica desses pacientes.

Insuficiência cardíaca

Na insuficiência cardíaca, o coração é incapaz de bombear a quantidade necessária de sangue para todo o corpo. Torna-se um órgão insuficiente porque não possui a capacidade para realizar seu trabalho de contração.

É comum os pacientes com insuficiência cardíaca apresentarem poliúria, porque essa falha na circulação produz acúmulo de líquidos. O corpo elimina esse excesso de líquido através da urina; muitas vezes, aumentando o volume noturno.

A poliúria pode estar alertando sobre um infarto

Descubra: Insuficiência cardíaca congestiva: 7 possíveis causas

Hipertensão arterial

Pacientes hipertensos manifestam um aumento na quantidade de urina quando não são medicados ou quando o controle de sua doença não é adequado. Às vezes, diante de uma doença silenciosa, como a hipertensão arterial, o único sintoma é a poliúria.

Valores altos da pressão arterial afetam o funcionamento dos rins, alterando a maneira como filtra o sangue e produz a urina. Portanto, a produção é aumentada. Além disso, mecanismos semelhantes aos da insuficiência cardíaca também estão envolvidos.

Insuficiência renal

Em proporção, não há muitas pessoas com insuficiência renal, mas a patologia é muito grave. Nesses casos, os rins são insuficientes porque não conseguem filtrar adequadamente o sangue para a produção adequada de urina. Dada essa filtragem defeituosa, eliminam-se não apenas as substâncias que devem ser removidas do corpo, mas também as substâncias úteis e a água.

A insuficiência renal pode ser um estágio final e complicado de outras patologias, como diabetes, ou infecções mal curadas, ataques autoimunes do organismo ou tumores malignos.

Conclusão sobre poliúria

Esse sinal é um sintoma ao qual devemos prestar atenção. Se soubermos que comemos salgados ou que sentimos frio, podemos permanecer calmos e esperar o sinal desaparecer por si próprio. No entanto, se se tornou persistente, devemos consultar o médico.

Os profissionais da saúde saberão solicitar os estudos necessários para chegar ao diagnóstico das causas que originam a nossa poliúria. Uma vez que a origem é encontrada, o tratamento correspondente é estabelecido.



Fonte




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *