full screen background image
Últimas notícias

o pai da psicologia existencial


Hoje vamos expor uma breve biografia de Rollo May, um inovador no campo da psicologia. Ele nos permitiu, entre outras coisas, entender melhor as vivências adversas do ser humano.

Ele e outras figuras, como Viktor Frankl, dotaram a psicoterapia de um enfoque existencial e humanista muito necessário, com o qual favorecer as forças, recursos internos e a capacidade de tomar decisões melhores das pessoas.

As obras mais conhecidas de May, como O Significado da Ansiedade, Amor e Vontade e A Coragem de Criar, são exemplos valiosos e reveladores da sua mentalidade revolucionária. Não podemos nos esquecer de que este psicoterapeuta chegou para alterar e colocar em dúvida muitas das ideias herdadas de Sigmund Freud e da psicanálise.

Rollo May ajudou milhares de pessoas a encontrar coragem suficiente para enfrentar seus medos e limitações, além de abrir o caminho para exercer a liberdade e cumprir o destino que cada um quisesse escolher.

Ele soube ensinar como apreciar a beleza, inclusive nas situações mais adversas, bem como o poder intrínseco de toda dificuldade. As obras presentes na biografia de May oferecem uma nova forma de enxergarmos o mundo e a nós mesmos.

Biografia de Rollo May, uma vida em busca de significado

Mãos se tocando ao entardecer

Rollo May nasceu em Ada, Ohio, em 1909. Sua infância não foi fácil. Ele era o mais velho de seis irmãos em uma família desestruturada. Seus pais eram separados e era comum ver as crianças passando grande parte do dia sozinhas e cuidando umas das outras. Esta tarefa, por sua vez, não era fácil, dado que uma de suas irmãs sofria de esquizofrenia.

Depois de se formar no ensino médio, Rollo May decidiu deixar seu entorno para trás temporariamente. Ele foi à Grécia trabalhar, aproveitando esta época para se aprofundar em filosofia e mitologia, mas teve que voltar para atender à sua família.

No entanto, os conhecimentos adquiridos e as experiências que o envolviam criavam mais dúvidas do que respostas, até o ponto em que, ao voltar aos Estados Unidos, decidiu estudar teologia em Nova Iorque.

Em sua mente havia uma necessidade, uma meta muito específica: entender o porquê do sofrimento humano. Além disso, também queria entender o porquê das doenças mentais, do suicídio, do medo, da ansiedade… Foi então que conheceu uma figura que marcou a sua vida e a sua obra: o teólogo protestante e filósofo existencialista Paul Tillich.

Influências em seu enfoque psicológico

Em 1939, enquanto estudava teologia, escreveu seu primeiro livro: The Art of Counseling. Neste trabalho, ele abordou pela primeira vez aspectos como a empatia, a religião, os problemas de personalidade e a saúde mental. Assim, depois de se formar, iniciou uma nova etapa se matriculando na Universidade de Columbia para estudar psicologia clínica.

Durante esses anos, seu trabalho foi interrompido por uma tuberculose. Foi uma época difícil na qual, uma vez mais, surgiram dúvidas e a constante necessidade de entender a razão do sofrimento e da adversidade cotidiana.

Ele entendeu que a sua missão como pesquisador e como terapeuta deveria ser a de ajudar as pessoas a dar um significado à sua vida e a superar as dificuldades melhorando o seu potencial humano.

Rollo May

O enfoque teórico de May se assenta sobre uma ampla variedade de correntes que lhe permitiram construir uma visão inovadora sobre a psicologia. São as seguintes:

  • O legado de Otto Rank, psicanalista e colega de Sigmund Freud, foi fundamental em seu trabalho. Ele era uma figura menos conhecida dentro da psicanálise. No entanto, ele trazia à psicanálise uma corrente existencial e humanista mais renovadora.
  • Psicólogos humanistas como Abraham Maslow também foram grandes referências, embora May esteja mais interessado em se aprofundar nas dificuldades do ser humano do que nas suas necessidades.
  • Por último, outra figura essencial em seu legado teórico foi Erich Fromm e, especificamente, seus trabalhos sobre a autoexpressão e o livre arbítrio.

O legado de Rollo May, um psicólogo existencialista

Depois de receber seu doutorado na Universidade de Columbia, Rollo May começou a trabalhar como conselheiro, psicoterapeuta, e como professor da New School for Social Research em Nova Iorque. Também deu aula em Harvard, Yale, Princeton…

Se há algo pelo qual ele é conhecido, são seus livros. Suas obras tiveram uma grande importância tanto na comunidade acadêmica quanto na sociedade da época. Trabalhos como A Busca do homem por si mesmo, Amor e Vontade, O Significado da Ansiedade A Coragem de Criar foram aclamados em todo o mundo.

A Associação Americana de Psicologia (APA) o exaltou pela sua contribuição para a psicologia clínica. Foi uma figura muito apreciada, capaz de nos ajudar a entender o dilema existencial do homem moderno. Passou seus últimos anos em Tiburon, na Baía de São Francisco, onde faleceu em outubro de 1994, aos 85 anos.

“A liberdade é a capacidade do homem de assumir o seu próprio desenvolvimento. É a nossa capacidade de moldarmos a nós mesmos”.
-Rollo May-

Biografia de Rollo May


Contribuições de Rollo May para a psicologia

  • Introduziu o existencialismo na psicologia. Este tipo de perspectiva faz uso de um enfoque positivo que enfatiza as capacidades e aspirações do ser humano. Ao mesmo tempo, reconhece suas limitações.
  • Ajudou a entender os mecanismos subjacentes do sofrimento e as crises humanas. Fez isso combinando o existencialismo com o humanismo.
  • Rollo May centrou grande parte dos seus trabalhos no estudo da ansiedade. Ele nos ajudou a vê-la de outra forma, como um catalisador capaz de nos fazer tomar decisões mais corajosas.

Esta breve biografia de Rollo May nos permite conhecer um homem que marcou a abertura da psicoterapia baseada no diálogo, na qual a finalidade – mais do que levar o paciente ao bem-estar e à felicidade – é oferecer estratégias para enfrentar a vida de uma forma mais segura, corajosa e racional.



Fonte




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *